Empresário de Milhã foi morto com cerca de 14 tiros, diz Polícia

A Polícia Militar localizou na Estrada do Rio Abaixo, em Itaquaquecetuba, na noite de sábado (3), o corpo do comerciante Antônio Fábio Silva, de 50 anos. De acordo com o boletim de ocorrência, os indícios indicam que ele foi executado. Segundo a polícia, o corpo estava na beira da estrada, perto do carro da vítima, com marcas de cerca de 14 disparos. A carteira com documentos, dois celulares e R$ 252 foram encontrados com a vítima e devolvidos à família.

Ainda segundo a polícia, trata-se de um lugar deserto, às margens da Rodovia Ayrton Senna. A estrada de terra não é iluminada e não há câmeras de monitoramento.

A polícia foi chamada por pedestres que passaram e viram o carro abandonado, por volta das 20h. Segundo a polícia, ao lado do corpo foram achadas duas cápsulas de munições deflagradas de 9 mm. Já dentro do veículo, havia uma munição intacta de 9 mm e uma cápsula deflagrada, assim como uma espécie de fio. De acordo com a polícia, o banco traseiro do lado do carona foi alvejado e o disparo atingiu também a porta traseira do lado do carona. No teto e no banco, havia marcas de sangue. Segundo o boletim de ocorrência, os indícios indicam que houve luta corporal dentro do carro. Do lado de fora, a situação da vegetação aponta que o comerciante foi arrastado.


A família da vítima foi localizada por meio das informações do carro, que está no nome da mulher dele. Segundo a polícia, a esposa contou que o comerciante não tinha inimigos. De acordo com a família, ele era proprietário de dois minimercados e de um galpão e, por isso, fazia com frequência o trajeto entre Itaim e Itaquaquecetuba.

O caso foi registrado na Delegacia Central de Itaquaquecetuba, onde a mulher dele contou que era casada com a vítima há 10 anos. Antônio Fábio da Silva nasceu no Ceará e, segundo a mulher, não tinha inimigos e nem arma.
Uma funcionária contou que a vítima foi vista pela última vez ao levar um colaborador de uma loja e o irmão de outro funcionário para o galpão. De acordo com a testemunha, ele deixou os dois no galpão e não foi mais visto. Ela disse que o patrão tinha uma boa relação com todos.

Foi feita perícia no local e o caso será encaminhado ao Setor de Homicídios. A vítima não tinha passagem pela polícia.

(Com informações do G1 Mogi das Cruzes-SP)

☇COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA COM AMIGOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. USE COM RESPONSABILIDADE.