Tuberculose mata 45 pessoas no Ceará em 2017; 1.608 casos só este ano

Fortaleza lidera o número de ocorrências e mortes, respectivamente com 777 e 26 casos. 

Curável desde o ano de 1944 e com tratamento eficaz disponível na rede de pública de saúde, chama atenção o fato da Tuberculose pulmonar ainda registrar alta incidência e, sobretudo, mortes. Somente em 2017, o Ceará já soma 1.608 casos confirmados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação Compulsória (Sinan) do Ministério da Saúde, entre os meses de janeiro e julho, sendo que 45 deles evoluíram para óbito. As informações estão na mais recente atualização semanal de doenças de notificação compulsória, divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Fortaleza lidera o número de ocorrências e mortes, respectivamente com 777 e 26 casos. Durante todo o ano passado, a doença acometeu 3.009 pessoas, levando à morte 64 delas. No Estado, a tuberculose apresenta-se de forma endêmica e entre os anos de 2011 e 2016 o número de casos se mostrou estável, segundo dados do Boletim Epidemiológico da doença, também da Sesa. Foram diagnosticados 3.653 casos novos em 2011 e 3.341 em 2016.

A grande preocupação, no entanto, diz respeito as taxas de abandono ao tratamento, classificadas como aceitáveis pelo Ministério da Saúde com índices de até 5%, mas que no Estado chega a média de 10%, segundo destaca a coordenadora do Programa Estadual de Combate à Tuberculose, Sheila Santiago. 


O índice influencia diretamente em outro resultado aquém do esperado: a taxa de cura, que no Estado figura atualmente em cerca de 53% (dados parciais), bem abaixo da meta de 85% estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Fonte - Diário do Nordeste

☇COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA COM AMIGOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. USE COM RESPONSABILIDADE.