Diretor da OAB e família são executados a tiros no RJ

Crime chocou os moradores do local.

Um crime bárbaro chocou os moradores do bairro de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Uma família inteira foi executada dentro de casa durante a madrugada da última sexta-feira (17/2). Soraya Gonçalves de Resende, de 37 anos, o marido dela, o advogado Wagner da Silva Salgado, de 42, e a filha do casal, Geovanna Resende Salgado, de 10, foram mortos a tiros por volta da 5h. A polícia ainda não tem nenhum suspeito.

Wagner, que era diretor de eventos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em São Gonçalo, era advogado cível e atuava na disputa judicial envolvendo o inventário do pai de Soraya. A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo investiga se a morte do casal e de sua filha tem ligação com o caso que se arrasta há 20 anos.

Soraya, que é adotada, chegou a pedir na Justiça que houvesse prestação de contas no inventário do pai. A solicitação ainda não foi julgada. A Delegacia ainda não descarta que outras hipóteses tenham motivado o crime. Segundo o jornal O Globo, o prédio onde a família foi morta pertencia à mãe de Soraya, que também mora no local.

Para o presidente da OAB São Gonçalo, Eliano Enzo, tudo leva a crer que não houve arrombamento no apartamento quando a família foi atacada. Soraya e a filha morreram no local. Wagner, que levou três tiros na cabeça, chegou a ser levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, mas não resistiu aos ferimentos.


Briga de Família

De acordo com O Globo, Soraya registrou uma ocorrência na 73ª DP (Neves), no dia 18 de junho de 2016, contra sua irmã Simone Gonçalves Resende por causa de comentários ofensivos em uma foto no Facebook. Soraya havia publicado uma foto com seu pai adotivo na rede social e horas depois, Simone escreveu as ofensas.

“Vagabunda. Agora que está morto coloca foto com mensagem que um dia vai se encontrar!! Toma vergonha na cara e conta da sua mãe que você trata como uma cachorra: Você nunca trabalhou e nem sabe o que é isso. Tinha que dar muito valor a quem te criou porque quem te pariu nem na sua cara quis olhar. Cuida enquanto está viva porque depois que morrer você não vai postar fotinha arrependida. Já passou da hora de você tomar vergonha na cara e sair das costas dela. Fica a dica”, dizia a postagem.

Nota da OAB-RJ

A OAB do Rio de Janeiro divulgou uma nota de pesar pela morte do diretor, lembrando dos serviços prestados à instituição e pedindo agilidade na resolução do caso. “A presidência da OAB/RJ já entrou em contato com a Secretaria Estadual de Segurança para exigir rapidez na investigação do bárbaro crime. A Seccional se solidariza com a advocacia local na pessoa de seu presidente Eliano Enzo e oferece todo o apoio neste momento de grande tristeza e revolta”, diz a nota.

Leia outras notícias na nossa página inicial, clique ~> www.portaldm.net

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA COM AMIGOS

Publicidade
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. USE COM RESPONSABILIDADE.